Por Favor aguarde...

24/05/2010: Águas de Moçambique participa em projectos de investigação e desenvolvimento para a qualificação da gestão da água

A Águas de Moçambique, empresa participada pela AdP – Águas de Portugal responsável pelo abastecimento de água em Maputo, está a participar em três projectos de investigação e desenvolvimento (I&D), no âmbito do 7º Programa Quadro da União Europeia, cujos enfoques são a gestão sustentável dos recursos hídricos e a prevenção de crises.


Trata-se dos projectos G-MOSAIC, MyWATER e TRUST, que envolvem uma vasta rede de sinergias entre mais de cem instituições, na sua maioria da Europa, e representam um investimento global de mais de 20 milhões de euros na produção de conhecimento e tecnologia.


O envolvimento da AdeM no Projecto G-MOSAIC passa fundamentalmente pela participação, em parceria com a Administração Regional de Águas do Sul de Moçambique (ARA-Sul), num caso de estudo para aplicação de processos e metodologias que têm por objectivos principais melhorar a segurança e apoiar a gestão racional da água, em particular no que diz respeito à bacia do Umbeluzi e à Barragem dos Pequenos Libombos, importantes origens de água para o abastecimento a Maputo.


Em termos mais globais, o Projecto G-MOSAIC, o trabalho desenvolvido privilegia a vertente da prevenção e gestão de crises, através de modelos associados a Sistemas de Informação Geográfica (SIG), utilizando diversas fontes de dados, nomeadamente imagens de satélite e medições meteorológicas. O sistema-piloto resultante deste projecto, em fase de instalação, permitirá gerar diversos tipos de alerta e a construção de cenários de alterações no uso do solo e respectivo impacto ao nível da água disponível, quer para consumo humano, quer para usos agrícolas e industriais.


Mais recentemente, a AdeM integrou um outro projecto de investigação e desenvolvimento, designado de MyWater, já seleccionado para receber financiamento da Comissão Europeia e que permitirá alargar o âmbito do G-MOSAIC para as zonas costeiras da Grande Maputo.


Também em fase de arranque, o projecto TRUST visa estudar formas de orientar a gestão do ciclo urbano da água para novos paradigmas de sustentabilidade, perante um cenário de aumento da frequência de cheias e de secas, que a comunidade científica prevê como consequência das alterações climáticas.


A importância da participação de Moçambique nestes projectos é tanto mais relevante considerando o contexto de um país que conta no seu passado com graves episódios de cheias, secas e desertificação. Efectivamente a transferência de tecnologia, a aquisição de conhecimento e a qualificação recursos humanos, permitem reforçar nas entidades envolvidas a capacidade de gerir estes fenómenos e mitigar o seu impacto no que à qualidade da saúde pública e do ambiente diz respeito.


Sobre a Águas de Moçambique

 

A Águas de Moçambique (AdeM) é responsável pela exploração e manutenção do Sistema  de Abastecimento de Água à cidade de Maputo, fornecendo também, no âmbito do mesmo contrato de cessão, água potável à cidade de Matola e à vila de Boane. Até Março de 2008 foi ainda responsável pela assistência técnica às cidades da Beira, Quelimane, Nampula e Pemba.


A missão da AdeM é prestar um serviço de distribuição de água com qualidade, visando particularmente a satisfação dos clientes e das partes interessadas e assegurando  padrões internacionais na regularidade do serviço, num quadro de sustentabilidade económica e ambiental.


Considerada uma entidade empresarial de referência no sector das águas em Moçambique, no quadro da gestão delegada dos sistemas de distribuição de água, a empresa do Grupo AdP assume-se hoje como um empregador de excelência e contribuidor para o desenvolvimento económico, social e ambiental deste país. O reconhecimento desta posição tem vindo a ser comprovado nomeadamente através da certificação da empresa pela norma ISO 9001:2008 – Gestão da Qualidade - e a atribuição do selo Made in Mozambique, que distingue as organizações de direito Moçambicano que demonstrem um forte comprometimento com a Qualidade e assumam a incorporação, nas suas actividades, de recursos materiais, tecnológicos, financeiros e humanos de origem Moçambicana.

Lisboa, 24 de Maio de 2010